Visualizador de Visitas

OBRIGADA

quarta-feira, 13 de agosto de 2014

No Jornal Nacional, Eduardo Campos foca em Dilma, e se sai melhor que Aécio



Escolado pelo mau desempenho de Aécio Neves ontem em entrevista ao Jornal Nacional, o candidato do PSB, Eduardo Campos, fugiu de algumas perguntas, se viu acuado em alguns momentos por Willian Bonner e Patrícia Poeta ao tentar tergiversar, mas se saiu melhor que o rival tucano. Só mostrou irritação com a insistência do âncora do programa quando este citou o empenho do ex-governador de Pernambuco para eleger sua mãe, Ana Arraes, como ministra do Tribunal de Contas da União (TCU).
Em resposta ao questionamento, o pessebista mencionou ter feito a lei de nepotismo no estado de Pernambuco, citou o currículo da mãe e a elogiou dizendo que foi a única mulher que “ganhou no voto” a vaga no TCU. Bonner insistiu dizendo que não são os méritos mas o empenho pessoal de Campos que estava em discussão e o caráter ético de sua campanha em prol da mãe. Na terceira vez em que o apresentador voltou ao assunto, o pessebista respondeu com expressão fechado e um “não” seco sobre se considerava haver problema ético nisso.
Na entrevista, Campos voltou à tática conduzida em sua campanha de atacar o governo Dilma, com argumentos caros à esquerda e à direita. Por um lado, criticou por duas vezes a elevada taxa de juros afirmando, por exemplo, que meio ponto na Selic poderia significar economia para que recursos fossem investidos em projetos seus como escola em tempo integral, passe livre para estudantes do ensino público, e investimentos em educação e segurança. Ao mesmo tempo, indicou que o Banco Central deve ter independência, e voltou mais de uma vez à inflação para atacar o atual governo.
Também repetiu a frase de impacto que circulou bastante nas redes sociais durante a sabatina realizada pelo portal G1, quando disse que o Brasil “perdeu de 7 a 1 no campo e também está perdendo fora dele”, lembrando ainda outras “pautas” frequentes no Facebook e no Twitter, como a acusação de que o governo estaria “guardando” o aumento nos preços da energia e do combustível para o ano que vem, após a eleição. Campos mostra que sua campanha está sintonizada com o sentimento das redes, o que pode lhe render uma vantagem, em especial, com o público mais jovem.
Bonner explorou ainda a aparente contradição entre o agronegócio e a postura da vice de Campos, Marina Silva. No entanto, esse também era um assunto que Campos havia enfrentado na semana passada, noencontro de presidenciáveis da Confederação Nacional de Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA). O pessebista disse que “Marina não tem nada contra o agronegócio” e o que ela e ele defendem é que é preciso haver “desenvolvimento com respeito ao meio ambiente”. Quando o apresentador prosseguiu lembrando da votação do Código Florestal, onde PSB e Marina tiveram posições contrárias, Campos disse que, nesse caso, estava do lado de sua vice, e não da bancada da sua legenda.
Poeta cobrou o afastamento de Campos do governo Dilma, citando críticos que entendem o abandono do pessebista do projeto de governo do PT como algo decorrente de sua “ambição pessoal”. Ele justificou que em 2012 esse afastamento já se iniciava, citando outro de seus argumentos recorrentes em discursos e entrevistas de campanha, que “esse governo vai entregar um país pior do que recebeu”. Seguiu na linha de personalizar a crítica a Dilma para se diferenciar dela, mas não de Lula, mencionando que a presidenta teria deixado a “inflação voltar” e contribuído para “derreter os empregos”, algo que os números, na prática, não mostram.
Ao finalizar pregando mais uma vez o fim da polarização entre PT e PSDB, Campos reforçou a união com Marina e pode ter ganho moral ao aproveitar o flanco aberto pela entrevista concedida por Aécio ontem. Nesse início de exposição na TV, pode ser um alento para o pessebista, que terá menos tempo no horário eleitoral e ainda é desconhecido por quase metade do eleitorado.

Jato com Eduardo Campos cai em Santos, no litoral paulista


Um jato particular caiu em Santos, no litoral de São Paulo, e atingiu casas por volta das 10h desta quarta-feira. A aeronave pertencia ao canditato à presidência da República pelo Partido Socialista Brasileiro (PSBEduardo Camposque, segundo a assessoria de imprensa do partido, morreu no acidente. Conforme a assessoria de imprensa do PSB no Rio Grande do Sul, a mulher e um filho do candidato estavam no jato.

Candidato à presidência Eduardo Campos morre aos 49 anos
A trajetória de Eduardo Campos em cinco momentos
Conforme o Comando da Aeronáutica, não houve sobreviventes na queda. Integrantes da campanha se dividiram nesta quarta-feira em duas aeronaves: parte viajou ao Recife e o restante a Santos — e Eduardo Campos estava no jato em direção à cidade paulista. O presidenciável estaria se deslocando para um evento no Guarujá.
De acordo com o Comando da Aeronáutica, a aeronave é um Cessna 560XL, prefixo PR-AFA,  que decolou do Aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro, com destino ao Aeroporto de Guarujá (SP). Quando se preparava para pouso, o avião arremeteu devido ao mau tempo. Em seguida, o controle de tráfego aéreo perdeu contato com a aeronave.
O deputado federal pelo PSB no Rio Grande do Sul Beto Albuquerque recebeu a notícia da morte de Eduardo Campos em um evento na Federasul. Abalado, o parlamentar preferiu não comentar o assunto até o momento.
A Aeronáutica informou que já começou as investigações para apurar os fatores que possam ter contribuído para o acidente. Viaturas do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência, da Polícia Militar e dos bombeiros estão no local. O assessor de imprensa Guilherme Zeinum contou ao portal G1 que estava trabalhando em casa quando ouvir um forte barulho.
— Ouvi um barulho forte, seguido de uma explosão. Fui até a janela e só avistei uma fumaça preta vinda da direção do Canal 3 — disse a Globo News.

Eduardo Campos defende acabar com 'cargos vitalícios' na Justiça


O candidato a presidente pelo PSB, Eduardo Campos, defendeu nesta terça-feira (12), em entrevista ao Jornal Nacional, acabar com cargos vitalícios na Justiça. Ele se disse favorável a processos de escolha "de caráter mais impessoal".
Campos fez a afirmação ao final de uma série de questões sobre o fato de ter apoiado a indicação de parentes para o Tribunal de Contas da União (TCU) e para o Tribunal de Contas do Estado (TCE) de Pernambuco, estado que governou. Esses dois tribunais são órgãos de fiscalização que auxiliam o Poder Legislativo na fiscalização do Executivo.
O candidato disse que não vê problema no empenho que fez para ajudar a mãe dele, a ex-deputada Ana Arraes, a se tornar ministra do TCU – o tribunal julga contas do governo federal. Ele também foi questionado sobre a indicação de um primo dele e outro de sua mulher para trabalhar no TCE-PE.
"Eu acho que a gente precisa, na verdade, sobretudo agora, que vamos ter cinco vagas no Supremo Tribunal Federal, o Brasil precisa fazer uma espécie de comitê de busca. O que é feito nos institutos de pesquisa: juntar pessoas com notória especialidade e conhecimento para fazer ao lado do presidente a seleção de pessoas que vão para esses lugares vitalícios. Aliás, eu acho que o Brasil deve fazer uma reforma constitucional para acabar com cargos vitalícios que ainda existem na Justiça, é preciso ter os mandatos também no Poder Judiciário, coisas que existem em outras nações do mundo, de maneira a oxigenar os tribunais, garantir que esse processo de escolha seja um processo mais impessoal."
Os candidatos à Presidência da República que ocupam as quatro primeiras posições nas pesquisas de intenção de voto concederão nesta semana entrevistas de 15 minutos cada um ao JN. Na segunda (12), o entrevistado foi Aécio Neves (PSDB); nesta quarta (13), será Dilma Rousseff (PT); e, na quinta (14), Pastor Everaldo (PSC). A ordem das entrevistas foi definida por sorteio, com a presença de representantes dos partidos. Foram escolhidos para as entrevista os candidatos com pontuação igual ou superior a 3% nas mais recentes pesquisas dos institutos Ibope e Datafolha.
Mãe no TCU
Sobre a atuação para ajudar a mãe a se tornar ministra do TCU, aprovada para o cargo em eleição na Câmara dos Deputados, Campos afirmou que, se o candidato apoiado pelo partido fosse outro, ele também atuaria para que fosse indicado.

À pergunta "O senhor não vê nada de errado no seu empenho pessoal nesta eleição?", ele respondeu: "Não".
"Na hora em que ela saiu candidata, com apoio do meu partido, se fosse outra pessoa, eu teria apoiado. Por que não apoiaria ela, que tinha todos os predicados? Tanto é que pôde registrar sua candidatura, pôde fazer a disputa. Eu nem votei, Bonner, porque eu não era deputado. Eu simplesmente torci – porque ela se candidatou – para que ela ganhasse. E ela tem feito um trabalho no Tribunal de Contas que tem o reconhecimento inclusive do corpo técnico do tribunal", declarou.
Promessas
O candidato foi questionado no início da entrevista sobre a compatibilidade entre as promessas que fez na área social (escola em tempo integral, passe livre para estudantes, aumentar investimento em segurança e saúde) com as promessas na área econômica (levar a inflação a 3% até o final do mandato).

"É possível sim. Nós estamos fazendo conta, tem no orçamento. Imagino que muitas vezes as pessoas dizem assim: 'houve reunião do Copom [Comitê de Política Monetária, do Banco Central] hoje e aumentou em 0,5% os juros. E ninguém pergunta de onde vem esse dinheiro. Meio por cento na taxa Selic significa R$ 14 bi. O passe livre, que é um compromisso nosso com os estudantes, custa menos que isso [R$ 10 bilhões, segundo afirmou em outras ocasiões]. Então, estamos fazendo contas, para, com planejamento em quatro anos, trazer a inflação para o centro da meta, fazer o Brasil voltar a crescer", declarou.
Inflação
Campos foi questionado pelos jornalistas sobre como pretende fazer a inflação baixar sem fazer corte de gastos públicos. Respondeu que é necessário coordenar as políticas macroeconômicas e ter regras seguras.

"A inflação não pode ser combatida só com a taxa de juros, como vem sendo feito no país. É preciso ter coordenação entre a política macroeconômica monetária e a política fiscal. Mas é preciso também ter regras seguras, as regras que mudam todo dia no Brasil muitas vezes, que fazem com que o preço do dinheiro suba, o chamado custo Brasil", disse.
2015
À indagação sobre se 2015 vai ser um ano difícil, Eduardo Campos disse que, se eleito, 2015 vai "terminar melhor" que 2014 "porque vamos enfrentar os problemas".

"Vai ser um ano que nós vamos terminar de maneira melhor do que o ano de 2014 porque vamos enfrentar os problemas. A pior coisa na vida de uma pessoa, de uma família e de um governo é a gente ficar escondendo os problemas e não ter coragem, humildade, de dizer: 'olha, estamos com problema, vamos resolver o problema?', afirmou.

segunda-feira, 4 de agosto de 2014

HISTÓRIA DE PETROLINA PERNAMBUCO

HISTÓRIA 

Seu nome foi em homenagem ao então Imperador Dom Pedro II e sua esposa Dona Leolpodina. Originariamente era denominada "Passagem de Juazeiro", em face de localização da vizinha cidade de Juazeiro, na margem oposta do Rio São Francisco no Estado da Bahia, sendo ponto de apoio do desenvolvimento da zona sertaneja do Estado, com vias de acesso para os Estados do Piauí, Ceará, Bahia, Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo.
Em conseqüência, foram surgindo os primeiros sinais de presença humana formando-se pequeno aglomerado de pessoas que se fixavam no local, dedicando-se à atividades pesqueiras e agrícolas de subsistência. Lá pelos meados de 1858, aqui passando em Santas Missões, um Frade Capuchinho, Frei Henrique, lançou a pedra fundamental de uma capela que foi transformada depois em Igreja Matriz, sendo então trazida de Santa Maria da Boa Vista a imagem de Nossa Senhora dos Anjos (imagem portuguesa), em festiva procissão fluvial.
Através da Lei nº 530, da Assembléia Provinciana de 07/07/1862 e por solicitação do Bispo Dom João da Purificação, fora a passagem de Juazeiro elevada a categoria de freguesia, recebendo a denominação de PETROLINA. Foi nomeada o primeiro vigário de Petrolina, o Padre Manoel Joaquim da Silva.À 18 de maio de 1870, pela Lei nº 921, Petrolina passa a categoria de Vila sendo instalada em 18 de agosto de 1870. Aos 5 de junho de 1878, pela Lei nº 1444, é criada a Comarca de Petrolina instalada em 1881 pelo seu 1º Juiz de Direito, Dr. Manoel Barreto Dantas.
O primeiro Prefeito de Petrolina foi Manoel Francisco Souza Júnior tendo como Sub-Prefeito o Sr. Febrônio Martins de Souza. O referido Prefeito iniciou seu mandato em 25 de abril de 1893, um personagem que entrou na história de Petrolina como seu maior interessado na Emancipação Política do Município.
Em 28 de julho de 1895, através da Lei nº 130, a sede municipal foi elevada à categoria de Cidade, instalada oficialmente em 21 de setembro do mesmo ano. Foi empossado o segundo Prefeito, Agostinho Albuquerque Cavalcanti. Estes Prefeitos como os que lhes sucederam, realizaram um pesado trabalho de organização e infra-estrutura do município. Os quase mil metros das águas entre as duas cidades eram cortadas por barcos e vela que transportavam pessoas e mercadorias de um lado para o outro. Tudo acontecia de maneira vagarosa porque não havia sido construída nenhuma ponte sobre o rio. 
Abnegados homens se empenharam na continuação da história: José Crispiniano Coelho Brandão, Francisco de Albuquerque Cavalcanti, Agostinho Albuquerque, Clementino de Souza Coelho, Souza Filho (Primeiro Deputado), Monsenhor Ângelo Sampaio, João Ferreira da Silva, João Ferreira Gomes e muitos outros.
Petrolina é cognominada "ENCRUZILHADA DO PROGRESSO", por ser passagem obrigatória para o norte e via de escoamento para o Centro Sul do País. O primeiro grande passo na larga estrada do progresso, data de 1915 com a fundação do Jornal "O PHAROL" de propriedade e direção do Sr. João F. Gomes, sendo um baluarte na defesa dos interesses coletivos e propugnador do progresso regional. Em 1919, construção da Estrada de Ferro Petrolina-Teresina, hoje incorporada à Viação Férrea Federal leste Brasileiro, infelizmente paralisado na sua construção com tráfego apenas até a cidade de Paulistana, no vizinho Estado do Piauí. Mesmo assim este pequeno trecho de via férrea tem sido de real utilidade aos interesses comerciais da região.
Em fevereiro de 1923, inaugurou-se a Estação Férrea desta cidade. Após longa interrupção, prosseguem os trabalhos da via no território piauiense, entre Paulistana e Conceição.
Em 1924 acelera-se o progresso da cidade com a criação da Diocese, sendo o seu 1º Bispo o Exmo. E Revdmo. Senhor Dom Antonio Maria Malan. Marco importante para o desenvolvimento de Petrolina foi a sua vinda. Francês de nascimento, vida dedicada ao sacerdócio.
Petrolina também jamais se esquecerá do seu filho mais ilustre: Nilo de Souza Coelho, Governador de Pernambuco, Senador da República, chegando a ser o Presidente do Congresso Nacional. Nilo Coelho foi exemplo de luta e coragem, em busca de melhores condições de vida para todo o povo sertanejo. Hoje, em Petrolina, um Memorial mostra os momentos da vida deste grande homem Petrolinense.

CARACTERÍSTICAS
Maior Município do Sertão, situado na divisa com o Estado da Bahia, considerado a Capital do Sertão, conhecido como a Encruzilhada do Progresso, Petrolina é o maior pólo agroindustrial de Pernambuco. Alcançou seu desenvolvimento através da agricultura irrigada, tornando-se um importante centro de produção de frutas tropicais. Situada no Vale de São Francisco, a Cidade explora o Rio para oferecer boas opções de lazer e turismo e para projetos de piscicultura, outra importante fonte de processo ecônomico da região. É a Cidade das Carrancas, esculturas compostas apenas de cabeça e pescoço e que misturam feições humanas e animais, utilizadas nas embarcações do Rio São Francisco, no final do século XIX, para afugentar os maus espíritos. Sua padroeira é Nossa Senhora Rainha dos Anjos.

CLIMA
Quente com chuvas em Dezembro e Janeiro.
Temperatura Média
27º C

0 COMO CHEGAR
Partindo de Recife: BR- 232 até Cruzeiro do Nordeste, depois PE- 360 até Floresta, posteriormente BR- 316 seguindo pela BR- 428 e finalmente BR- 122.

LIMITES
Ao norte com Dormentes, ao sul com o estado da Bahia, a leste com Lagoa Grande e a oeste com o estado da Bahia e Afrânio.

PONTOS TURÍSTICOS
Museu do Sertão
Possui um rico e variado acervo documental histórico, sacro, artístico, além da exposição de objetos de uso de boiadeiros, cangaceiros, antigos coronéis, pescadores, peças indígenas, etc.

Igreja Matriz
Iniciada em 1874 e concluída no ano de 1906, em estilo barroco, tem como padroeira Nossa Senhora Rainha dos Anjos, imagem procedente da Ilha da Madeira (Portugal).

Catedral de Petrolina
Datada de 1929, foi construída em estilo neo-gótico, com vitrais franceses, imagens oriunda da Europa, relógio doado pelo Padre Cícero. Construída pela tenacidade e grande visão futurista de D. Malan, com a colaboração da população. Nela se encontra o jazigo de D. Malan.

Concha Acústica
Palco elevado, arquibancadas com capacidade para cinco mil pessoas.

Orla
Ponto de encontro e lazer, dotado de playground, restaurantes, bares e lanchonetes, pista de Cooper, pista de patinação e palco de eventos.

Centro de Convenções Senador Nilo Coelho
Com 16.000m2 de área construída, dispõem de auditórios, salas de trabalho, sala de imprensa, sala vip, restaurantes e lojas comerciais.

Galpão de Ana das Carrancas
Das mãos hábeis de Dona Ana, as lendárias carrancas em barro com olhos vazados, mantém a tradição das famosas carrancas do São Francisco.

Serra da Santa
Onde se situa a gruta com a imagem de Nossa Senhora de Lourdes, local onde se realizam pagamento de graças alcançadas, romarias e ex-votos.

Fundação Cultural
Construído em estilo neo-renascentista, tombado pelo Governo do Estado em 1985.

Praça do Centenário
Construído na comemoração dos cem anos da Igreja Matriz, em 1962. No centro da praça se vê um barco à vela com um frei segurando um crucifixo simbolizando a fé cristã.

Oficina do Artesão Mestre Quincas
É o ponto de trabalho do artesão de Petrolina, local onde encontram-se sandálias, bolsas, cintos, lençóis, almofadas, peças de madeira (carrancas, santos, esculturas, além de peças de cerâmica confeccionadas por Ana das Carrancas).

Parque Municipal José Coelho
Local onde se realizam grandes eventos como: São João, shows, pista de cooper, pista para bicicross, futebol society, playground e parque infantil.

Barragem do Sobradinho
É o maior lago artificial do mundo. Como atração tem a eclusagem onde ocorre a inundação do nível do rio no ponto de passagem para o Lago do Sobradinho e os restaurantes onde são servidos vários pratos de surubim pescado no próprio lago.

Ilha do Rodeadouro, Ilha da Amélia
Com praias propícias para banho

Serrote do Urubu
Local ideal para camping

Ilha do Fogo
Bela ilha de frondosas mangueiras, goiabeiras, sombras preguiçosas e praias convidativas. Possui ainda um mirante de onde se pode apreciar o belo panorama das duas cidades, Petrolina e Juazeiro e à tardinha, ver o rio engolindo o Sol.


Lina Coelho